BARTIMEU, O CEGO (by Rev. Marcos Antonio de Oliveira)

Encontramos no Evangelho de Marcos 10:46-52 um dos milagres operados por Nosso Senhor Jesus Cristo. Nessa passagem, vemos um quadro espiritual glorioso e singular.
Em primeiro lugar, temos um exemplo de fé robusta. Diz-se-nos que, ao sair Jesus de Jericó, um cego chamado Bartimeu "estava sentado junto ao caminho mendigando. E ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim!".
Bartimeu era cego do corpo, mas não da alma. Os olhos do seu entendimento estavam abertos. Via coisas que Anás e Caifás, e muitos escribas e fariseus sábios nunca chegaram a ver. Via que Jesus de Nazaré, como o chamavam com desprezo, esse Jesus que tinha vivido trinta anos em uma aldeia inexpressiva da Galiléia, esse mesmo Jesus era o Filho de Davi ! – o Messias de quem falavam os profetas. Ele nunca havia presenciado os assombrosos milagres operados por Jesus; nunca tivera a oportunidade de ver os mortos ressuscitados com uma palavra e os leprosos limpos pelo contato da mão de Jesus. A sua cegueira o tinha privado destes privilégios. Havia escutado a narração destes fatos e cria com toda a convicção. Convenceu-se, de quem ouvira dizer estas coisas, era de fato o Salvador e, tinha, poder para curá-lo. Assim, quando percebeu que Jesus se aproximava, clamou com insistência: "Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim!".
Nós também não podemos ver Jesus com os olhos de nosso corpo. Temos, porém, no Evangelho, a demonstração de seu poder e de sua graça, e declaração da sua vontade para nos salvar. Temos aí escritas, as grandiosas promessas que proferiram os seus lábios. , nas quais podemos confiar, e entregar as nossas almas a Cristo, sem hesitação. Não temamos depositar toda a nossa confiança nas palavras da sua graça. Creiamos que ele cumprirá tudo o que prometeu aos pecadores. O princípio da fé salvadora consiste em nos entregar nas mãos de Deus. Porventura, a vida de fé, não consiste em nos apoiar constantemente na palavra do Salvador ? Clamar a misericórdia de Deus ? Conservar o mesmo espírito de fé ? "Ao qual ( Jesus ) não o havendo visto, o amais; no qual, não o vendo agora, porém crendo, vos alegreis com gozo inefável e glorioso". ( I Pedro 1:8 ).
Diz a Palavra de Deus que quando Bartimeu começou a clamar "Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim !", encontrou pouco apoio da parte daqueles que estavam por perto. Estes até "o repreendiam para que se calasse". Ele, não era homem que se calasse naquelas circunstâncias. Se os outros não sabiam quão grande era a miséria de ser cego, ele sabia. Se pensavam não valer a pena esforçar-se tanto para obter alívio, ele pensava de outro modo. Não se importou, portanto, com repreensões dos que estavam perto, nem fez caso do ridículo que a sua importunação poderia trazer-lhe, mas "clamava cada vez mais" e assim clamando, obteve o que desejava: a cura para os seus olhos.
Todos os que desejam ser salvos devem notar bem a conduta de Bartimeu e seguir seu exemplo. Como ele, não devemos nos importar com o que os outros pensam ou digam a nosso respeito, quando buscamos a salvação em Cristo. Nunca há de faltar conselhos: "é muito cedo ou muito tarde" que "não temos necessidade de orar", ou "ler a Bíblia". A isso, não devemos dar ouvidos. Como Bartimeu, clamemos cada vez mais: "Jesus, tem compaixão de mim !".
 

 

Deixe seu comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s