Primeira Viagem Missionária de Paulo

Barnabé e Paulo voltaram novamente a Antioquia, levando consigo a João Marcos. Havia chegado o tempo de iniciar a história missionária de evangelização dos gentios, indicada pelo Espírito aos profetas pertencentes à igreja de Antioquia, as quais por ordem divina separaram Barnabé e Paulo esta obra que Deus os havia chamado. Obedecendo à direção divina e sob os auspícios de igreja de Antioquia, o apóstolo principiou a primeira viagem missionária, sem podermos determinar a data, que deveria ser entre 45 e 50 ou 46 e 48, e sem sabermos quanto tempo durou. Barnabé que era o mais velho ,dirigia o movimento, mas Paulo em breve ocupou o primeiro lugar por causa de seus dotes oratórios. João Marcos entrou nesta missão.

Saíram de Antioquia para Selêucia, situada na foz do Orontes e dali para Chipre, pátria de Barnabé. Desembarcando em Salamina, na costa de Chipre, começaram a trabalhar, como de costume, nas sinagogas. Percorreram toda a ilha até chegarem a Pafos, na costa sudoeste. Neste lugar, despertaram a atenção de Sérgio Paulo, procônsul romano. Saiu-lhes ao encontro, com violenta oposição, um feiticeiro judeu, chamado Barjesus, também conhecido por Elimas, o mago, que previamente havia conseguido a proteção do procônsul. Paulo resistiu-lhe indignado e repreendeu-o severamente e feriu-o de cegueira. Resultou disto a conversão de Sérgio Paulo. Partindo de Chipre, o grupo de missionários de que Paulo era agora o chefe, navegaram para a Ásia Menor e chegaram a Perge na Panfília. Ali João Marcos, por motivos ignorados, deixou os seus companheiros e regressou a Jerusalém.

Paulo e Barnabé não se detiveram em Perge, dirigiram-se para o norte, chegaram à Frigia e foram até Antioquia da Psídia. Lá entraram na sinagoga judaica e a convite dos chefes da sinagoga, proferiu o grande discurso, registrado em At 13:16-41, primeiro espécime de sua pregação de que há notícia. Depois de narrar a missão dos chefes de Israel, com vistas ao Messias, que tinha de vir, falou do testemunho de João Batista e do modo por que Jesus foi rejeitado pelos judeus; declarou que Deus o havia ressuscitado dentre os mortos, cumprindo na sua pessoa as promessas feitas a Israel pelos antigos e que somente pela fé nele, os homens podem ser justificados. Admoestou os judeus a não repetirem o crime cometido pelas autoridades de Jerusalém. Este discurso formentou a odiosidade dos judeus, mas impressionou a alguns outros e ainda mais aos gentios qua já estavam sob a influência da sinagoga e formavam o laço de união entre esta e o mundo gentilíco para o trabalho de Paulo. No sábado seguinte deu-se o rompimento entre a sinagoga e os missionários cristãos, de modo que estes passaram a dirigir-se aos gentios. O povo da cidade, exaltado pelos judeus, levantou-se contra Paulo e Barnabé e os lançaram fora.

De Antioquia passaram a Icônio, outra cidade da Frígia, onde uma copiosa multidão de judeus e de gregos se converteu à fé. Daqui passaram para Listra e Derbe, cidades importantes da Licaônia. Em Listra o apóstolo Paulo curou um homem coxo desde o ventre materno. o povo, tendo visto o milagre, levantou a voz dizendo: ‘Estes são deuses que baixaram a nós em figura de homens: chamavam a Barnabé, Júpiter e a Paulo Mercúrio." Este fato ocasionou o segundo discurso feito por Paulo, na qual pôs em evidência a estultícia de idolatria. É quase certo que a conversão de Timóteo se deu em Listra. A popularidade de Paulo durou pouco. Irrompeu nova perseguição, instigada pelos judeus, apedrejando-o e lançando-o fora da cidade como morto. rodeando-o os discípulos e levantando-se ele, entrou na cidade e no dia seguinte, partiu com Barnabé para Derbe, limite provável da província da Galácia a sudeste. Seria possível aos dois missionários atravessar por Tarso, irem diretamente de regresso a Antioquia da Síria. Não queriam voltar antes de consolidar a existência das novas igrejas. Portanto passaram de Derbe a Listra, de Listra a Icônio, de Icônio a Antioquia da Psídia, de Antioquia a Perge, organizando igrejas e animando os discípulos. Nesta cidade pregaram o Evangelho que parece não haviam feito na primeira visita; dirigiram-se ao porto de Atalia e dali regressaram a Antioquia da Síria. E assim terminou a primeira viagem missionária do apóstolo. Esta viagem compreendia todas as regiões para o lado do ocidente, já ocupadas pelo Evangelho. O método de trabalho consistia em oferecer em primeiro lugar a salvação aos judeus e depois aos gentios. 
 

Deixe seu comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s