Os dois retratos (Extraído)

Conta-se que um pintor percorria um dia a região de Nápoles quando um rapazinho de olhos brilhantes e cabelos encaracolados se aproximou dele. O artista admirou aquele lindo e inocente rosto e logo lhe ocorreu a idéia de o tomar por modelo. O pequenino José aceitou e o esboço foi rapidamente concluído.
Vinte anos mais tarde, o mesmo pintor, encontrando-se em Roma, entrou no tribunal onde ia ser julgado um bando de malfeitores. Um deles sobretudo ostentava no rosto uma expressão de brutalidade pouco comum. O pintor lembrou-se então de fazer um retrato que contrastaria singularmente com o do pequenino José. Depois as duas pinturas foram expostas lado a lado, sob os títulos: INOCÊNCIA E CRIME.
Um dia, porém o artista veio a saber que os dois retratos tão diferentes representavam o mesmo indivíduo: a inocente criança e o criminoso eram a mesma pessoa! Ora como explicar tal fato? O que teria levado aquela criança tão inocente a uma tal degradação moral? Seria por culpa exclusivamente sua? Teria ela encontrado na vida mãos protetoras, amigas, que quiseram encaminhá-la na senda da honra, da virtude, da santidade, e ela as rejeitou? Ou teria sido antes a sociedade a principal causadora da sua ruína?
E vocês, amigo leitor, o que tem feito em prol das crianças? Têm sido um instrumento sadio na sua formação? Lembremos do ditado: "Eduque as crianças e não será preciso punir os homens." 
 

Deixe seu comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s