Missiologia (By RVLopes)


Há três formas de se fazer missões:
1. Contribuindo
2. Orando
3. Indo

Há 2 tipos de missões:
1. Centrípeta (atração para o centro) Gn 12:2-3
2. Centrífuga (saída)

Tipo de Missões
1. Doméstica – trabalho feito no seu próprio país, entre um povo crente; algum grupo social ou étnico que não foi evangelizado.

2. Transcultural – Trabalhos realizados em outros países (até pode ser em seu próprio país), que exija atravessar fronteiras culturais.

3. Estrangeiras – Trabalhos realizados em outros países, além das fronteiras do seu próprio país.

4. Organizadas – São aqueles em que os missionários estão preparados e sustentados por uma agência ou departamento de missões , que recebe fundos para esse fim das igrejas de sua denominação.

5. Independentes – São aquelas em que o missionário se responsabiliza por si mesmo. Não pertence a nenhuma associação ou agência missionária organizada; dependendo de indivíduos ou algumas igrejas para uma contribuição voluntária para o sustento da obra por ele realizada.

Um missionário precisa ter algumas qualidades essenciais para o bom desempenho de suas missões.
1. Chamado de Deus para a obra.
2. Visão espiritual para a obra.
3. Homens de propósito firme e dinâmico.
4. Homens de fibra excelente e superior.
5. Homens de relações sensitivas e mente aberta.
6. Homens de auto-conceito de sua missão na terra.
7. Homens a par dos tempos.
8. Homens de mentalidade de servo.
9. Homens de ação ao invés de ambição.

Evangelização é zero (0)
É uma evangelização sem nenhuma barreira cultural, sem nenhuma distância cultural entre os evangelistas e os que recebem suas mensagens. Ex.: pessoas dentro da sua própria igreja que ainda não é convertida e que não há barreiras.

Evangelização é um (1)
É ganhar membros da própria cultura do evangelista, mas que se encontram no mundo. É evangelizar pessoas da mesma sociedade que não pertencem a nenhuma igreja. Ex.: não é cristãos, porém tem uma cultura parecida com o evangelho.

Evangelização é dois (2)
É ganhar para Cristo, pessoas de culturas diferentes, mais similares (língua) a do evangelistas (Bahia, nordeste, sul,etc.).

Evangelização é três (3)
É ganhar as pessoas de uma cultura muita distante. Essa distância não precisa ser necessariamente geográfica (um vizinho que mudou para perto de você que seja americano, chinês, japonês, etc.)
Para que um país seja considerado alcançado, tem que ter 20% de cristãos.
Uma sociedade é considerada alcançada quando 20% da sua população são cristãos ativos, sendo assim ela é capaz de alcançar o restante de seu povo por si mesmo, por isso é considerada como completamente alcançada.

Grupos étnicos ocultos
São aqueles nos quais não há ou quase não há cristãos professos. Se desejamos alcançar esses povos, serão precisos, evangelistas interculturais (evangelização E2 e E3). Estes grupos jamais terão a oportunidade de conhecer a Cristo de outra forma. A maioria desses grupos étnicos não alcançados, pertence a essa categoria.

Grupos étnicos alcançados inicialmente
São aqueles grupos que foram evangelizados em certo grau, com área de 1% do provo crendo e é cristão praticante. Realizou-se alguma evangelização intelectualmente entre tais grupos, mas requer-se muito mais.

Grupos étnicos alcançados de forma mínima
São aqueles nos quais entre 1% a 10% de sua população converteram-se e são cristãos verdadeiros. Grande parte da evangelização que se realiza é de vizinho a vizinho, ou seja evangelização intracultural.

Grupos étnicos possivelmente alcançados
Contam-se cerca de 10% a 20% do seu povo na categoria de crente praticante.

Grupos alcançados
São aqueles que tem 20% ou mais de cristãos praticantes.

Povos Autóctones – Originário de um país ou lugar em particular.
Missionários Autóctones – missionário brasileiro em outro país, que formará discípulos desse país com a mesma cultura do país para que eles façam outros discípulos.
Para tornar uma cultura autóctone em qualquer cultura, requerem-se igrejas autóctones.

Igrejas autóctones são aquelas cujos membros praticam as verdades espirituais, sociais e morais do cristianismo bíblico, segundo as regras culturais de sua própria sociedade, e percebem como o Evangelho vai transformando sua própria vida em resposta as suas necessidades básicas, mediante a direção do Espírito Santo e da Bíblia.
As igrejas autóctones exercem certa atração sobre a sociedade em geral. A conduta social imoral dos crentes não apenas se conforme as normas gerais da sociedade, mas também exibem padrões, mas elevados, de acordo com os da Bíblia.
As igrejas autóctones podem sofrer perseguições, mas continuarão mantendo respeito (manifesto ou silencioso) da população em geral, porque os membros da igreja vivem a verdade do Evangelho de forma culturalmente aceitável.
A sociedade como um todo considera a igreja AUTÓCTONE GENUÍNA, e não é um grupo desprezado nem a margem da sociedade. O contraste entre igrejas autóctones e não autóctones podem ajudar-nos a compreender esses princípios.

Princípios X Métodos
É indispensável fazer distinção entre, princípios e métodos bíblicos. Os princípios não são temporais, representam verdades espirituais e práticas aplicáveis a igreja em todas as gerações entre todos os povos.
Os métodos bíblicos podem ser temporais ou não. Quanto ao campo cultural são relativos. Podem ser aplicáveis numa cultura, mas não em outra. A Bíblia não só comunica os princípios da vontade divina para o homem, mas também registra a história de como alguns procuravam seguir esses princípios em sua própria vida.

Desenvolvimento de Princípios autóctones
Missiologia é a ciência que trata da missão bíblica da igreja e que formula os princípios e os métodos para estender a igreja a todo o mundo. A missiologia é importante para os evangelistas interculturais, porque ajuda-os a definir sua tarefa com maior clareza como também os princípios mediante os quais podem cumprir melhor o seu chamado.

A melhor maneira de aprender o ministério intercultural eficaz é através da experiência.

Qual a posição do crente na Batalha Espiritual?
At 26:16-18, para enfrentarmos essa batalha, precisamos antes de qualquer coisa, saber qual é a nossa posição espiritual, para termos ousadia, coragem e enfrentarmos o inimigo.
Em Ef 1:19-22, encontramos a seguinte afirmativa “… e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder; o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-O dentre os mortos e fazendo-O sentar a sua direita, nos lugares celestiais, acima de todo o principado e potestade, poder e domínio, e de todo nome que se possa referir, não só no presente século, mas também no vindouro. E pôs todas as coisas debaixo de seus pés e, para ser o cabeça sobre todas as coisas, O deu a igreja.

Crescimento Quantitativo e Qualitativo
O Crescimento pode ser quantitativo ou qualitativo (At 9:31 e 16:5). Aquele tem a ver primariamente com o número de crentes sendo acrescentado as igrejas e com o número de novas congregações sendo estabelecidas. Este tem a ver com o nível de compreensão, vida cristã, e com a dedicação demonstrada pelos membros das igrejas.
Um argumento um pouco pedante e algo sem razão de ser, tem ocorrido entre os proponentes destes dois tipos de crescimento, quanto a sua prioridade e seu relacionamento. Os defensores da escola de pensamento da igreja, tem enfatizado tanto o número de membros e as porcentagens do crescimento da igreja tem respondido a esta crítica ao notarem que:
· Fica evidente na Escritura que Deus está interessado no crescimento numérico (quantitativo);
· Uma das melhores maneiras de medir o crescimento qualitativo é o aumento numérico.

Certamente nada há de anti-espiritual no crescimento numérico, a não ser que consideremos a igreja em Jerusalém após o Pentecoste como sendo Anti-espiritual, mas o crescimento numérico deve ser acompanhado pelo crescimento espiritual. Alvos devem ser fixados para o crescimento numérico.

O crescimento qualitativo pode ser medido?
Na maior parte das situações, o crescimento numérico é um indicador do crescimento espiritual. Mas não é o único indicador. É importante reconhecer que o crescimento qualitativo pode ser medido doutras maneiras do que contar as cabeças ou produzir um relatório financeiro. As testemunhas de Jeová regularmente testam seus membros quanto a sua capacidade de apresentar o seu ensino a outras pessoas. 
 

Deixe seu comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s